Por dias mais leves...

domingo, fevereiro 21, 2016




Hoje eu acordei mais leve, acho que pela primeira vez minha cabeça acordou com o peso que ela realmente tem, não com 10 ou 20kg a mais como normalmente.
Decide que seria um dia diferente, que eu iria viver, não sobreviver, (trabalho, escola, contas, problemas e mais problemas...) Eu decide trilhar meu dia por conta própria, sem deixar os ouros fatores trilharem ele por mim.
Acordei cedo não me arrastando da cama, tomei um belo café, me troquei com minha melhor roupa e me preparei pra ir trabalhar, pra começo de tudo decidi deixar o celular em casa, tinha que me desprender um pouco do mundo. 
Chegando no trabalho sorri, sorri para todos como a muito tempo não sorria, sorri até mesmo para kelly que tirou de mim a tão sonhada promoção, por trapaça, mas hoje seria um dia diferente, seria um dia leve, sorri e me encaminhei pra minha sala.
Lá estavam milhares de papeis e contratos para resolver, mas eu não deixei abalar, fiz todos que pude, não enlouqueci tentando resolver todos ao mesmo tempo, fiz o meu melhor da melhor forma. 

Era hora do almoço, e eu sai, pela primeira vez não estava tensa ou louca pra sair logo daquele lugar, estava apenas vivendo, fui no banheiro e gostei do que vi no espelho, a muito tempo não ficava tão bonita, botei uma cor no rosto e sai sorrindo, estranhamente os homens começaram a olhar pra mim, e sorrirem de volta, eu acho que estava exalando leveza, uma coisa inédita pra mim.
Hoje seria o dia, o dia em que eu finalmente iria comer naquele restaurante caro que todos diziam ter uma ótima comida, nunca comi lá, sempre me preocupando com contas a pagar, peguei um dinheiro que havia guardado e fui, comi uma ótima comida e bebi uma ótima taça de vinho, era um dia perfeito, até que um homem estranho tombou na minha mesa e derrubou vinho em todo meu terno branco, fiquei furiosa, mas lembrei que hoje era um dia diferente, de repente o cara olhou pra mim e se desculpou descontroladamente, eu sorri pra ele, e voltei a sentar a mesa, o homem me olhou espantado e sorriu pra mim, de uma forma que fazia bastante tempo que nem um homem me olhava. Ele me encarou e se ofereceu pra pagar minha despesa, eu tentei dizer não mas mesmo assim ele pagou, e saiu do lugar me olhando tão profundamente que até senti que poderia ter lido minha alma. 

Na volta pro escritório pensei em como faria pra trocar de roupa, e então vi aquela linda blusa de seda que tanto queria, poderia a comprar, era perfeito, afinal ainda tinha o dinheiro do restaurante e sem olhar pra trás depois de meses namorando aquela blusa a comprei e me senti ótima. Retoquei a maquiagem e fui, e de novo todos os olhares estavam voltados pra mim,  e me senti ótima, havia esquecido de tantos problemas, sabia que eles não iam embora mas por hoje eu os queria longe, logo quando cheguei meu chefe me chamou a sala dele, disse que revisou a papelada que tinha me dado mais cedo e que estava muito boa, e que eu estava de parabéns, fiquei muito feliz e surpresa pois ele  até elogiou minha aparência. 

Enfim chegou a hora de ir pra casa, fui andando um pouco pra sentir o ar da cidade, olhar as pessoas e admirar o lindo lugar em que eu morava, me senti livre, solta e leve, e girei no meio da avenida, as pessoas me olhavam com olhares diferentes, me achando louca, rindo ou até mesmo admirando a estranha que estava reluzente de leveza. 

E no meio de tantos olhares eu encontrei um par de olhos verdes que havia visto mais cedo, e ele me olhava e ria, de uma forma terna e admirada, e eu sorri, e nossos olhos estavam grudados e eu não sai do lugar até que uma mão me puxou, e de repente eu me deixei levar e beijei o estranho do restaurante, me deixei levar, talvez fosse destino, ou não, sei lá, mas o beijei intensamente como nunca, logo após simplesmente sorri pra ele e fui embora, ele ficou abobado, mas hoje eu é quem dava as cartas, por que nada melhor pra fechar um dia maravilhoso do que me sentir maravilhosa, e assim o dia acabou, por que por pelo menos um dia eu fui leve e poderosa, e quem sabe o que acontecerá amanhã? Não me importo por que hoje eu sou de corpo e alma, HOJE!


Só uma historinha que pairou na minha cabeça de repente gente. rsrs
gostaram, estranharam, acharam chato? comenta ai, opiniões e criticas sempre são bem vindas!
beijo, beijo <3


Veja também

3 comentários

  1. Sério, c deveria escrever aquele tão prometido livro e talz... A história tá linda, cativante, emocionante, quero ser essa mulher! kkkk C arrasa, mulher!

    ResponderExcluir
  2. Carol simplesmente amei o seu texto inclusive fiz um usando o seu apenas como inspiração, você tem um enorme dom com a escrita, não deixe nada e nem ninguém tirar isso de você ! Simplesmente estou apaixonada pelos seus textos <3

    Quanto ao texto que fiz vai ser postado dia 29\10 Se tiver interesse de ir ver como ficou dá uma passadinha lá<3
    http://osoleeuu.blogspot.com.br/

    Bjs!

    ResponderExcluir