Namoro a distância... ❤️




Estava eu assistindo um programa de televisão outro dia, e o assunto do programa foi 'namoro a distância' logo que começaram a contar as histórias, mostrar os casos, eu já tava lembrando da minha história, como muita gente sabe o meu namoro foi um namoro a distância por um ano e meio, faz somente 3 meses que a gente ta juntinho. Então eu decide contar nossa história pra vocês. Eu já devo ter falado desse caso umas mil vezes. hahah. Mas aqui no blog ainda não. Então 'bora' lá. 

Eu morava em Parauapebas no Pará ele morava a mais de 700 km de distância de mim em Castanhal também no Pará. Mas nós não nos conhecemos em nem uma dessas cidades, na verdade nos conhecemos um pouquinho mais longe, a mais de 800 km de distância em Bragança-PA. Essa é a cidade que a família do meu pai mora, e praticamente todas as férias eu passava lá, desde de muito pequena, mas já começando as coincidências (ou não), todo ano eu ficava na casa da minha vó, mas nesse ano minhas tias queriam que eu e minha irmã fossemos para casa delas, eu fui para casa de uma e minha irmã pra casa da outra. Esse foi o pontapé pro começo da nossa história de amor rsrs. Minha tia tem dois filhos, que além de primos são meus amigos, um deles (Victor) tem mais ou menos minha idade e era com ele que eu saia pra todo canto, coincidentemente era com ele também que Franklin saia quando estava na cidade.

Chega de enrolação vamos lá, um dia qualquer eu tava na sala lendo um livro, quando meu primo chegou e tinha outro menino com ele, ele o apresentou. Esse é o Franklin, meu primo, Disse Victor. Primo? como assim... Tipo eu conhecia toda a família dele parte de pai que morava lá, mais não conhecia esse menino, tudo bem, não dei muita bola, voltei a ler o livro, os dias rolavam e nada eu nem percebia ele. Como estávamos no fim do ano, fomos todos passar o réveillon na praia e o Franklin também foi, Chegando lá aquele monte de gente impossibilitava qualquer contato , mas deram algumas coisas erradas no passeio e todo mundo resolveu voltar pra casa, mas meu primo resolveu ficar e eu um amigo dele e o Franklin também ficamos, ai música vai música vem, eu chamei ele pra dançar, e do nada  (eu já tava alterada, meio saidinha) dei uma mordida no pescoço dele, ele me beijou, e pronto, a gente ficou . Mas  até ai nós achávamos que iria ser só uma ficada, os dias foram passando e nós fomos ficado próximos, eu perguntei a ele porque eu sempre passava ferias ali e nunca o tinha visto, ele falou que fazia muito tempo (anos) que não ia pra Bragança, não gostava de lá e tal. Mas esse ano ele tinha ido pro Natal (eu cheguei lá dia 27 por ai) mas tinha voltado pra casa, só que do nada deu vontade de voltar pra lá ( o que todo mundo da casa dele achou estranho) ele chegou justamente no dia que me conheceu, lá na rede lendo um livro (pra mim foi destino) ficamos rindo das tais coincidências que haviam acontecido.

As férias foram rolando e a gente passando cada vez mais tempo juntos, depois de um mês, o dia de ir embora ficando cada vez mais perto, nós começamos a conversar sobre como  ficaria nossa situação, não  queríamos terminar o que quer que seja que tínhamos, mas ainda não tinha rolado um papo sobre namoro nem nada. Fomos passar um fim de semana na casa de praia com a família (não é tão glamouroso quanto parece rsrs), a noite ele me chamou pra dar uma volta pela praia E SEM EXAGEROS a noite tava linda, vento forte, lua maravilhosa, tudo perfeito, do nada ele se ajoelhou na minha frente e me pediu em namoro. ❤️❤️❤️ Foi a primeira coisa linda que ele fez pra mim. (logo após veio muito mais declarações lindas) Claro eu aceitei, dias depois veio a primeira despedida, tivemos que ir embora, fomos juntos, em Castanhal ele desceu, eu não aguentei comecei a chorar feito louca, foi ai que eu senti pela primeira vez que queria realmente ele na minha vida.

E a partir dai começou o sofrimento, e a distância começou a mostrar os seus efeitos, falávamos todos os dias pelo celular, ele começou a trabalhar, eu a estudar praticamente o dia todo, estava complicado pra nós nos vermos , só quatro meses depois nos encontramos de novo, pois era meu aniversário e eu queria muito que ele estivesse comigo, achávamos que não ia dar certo porque ele tinha acabado de começar a trabalhar e tal, mas ele conseguiu ir. Era uma situação estranha porque o tempo passa e você vai ficando insegura. Será que vai ser a mesma coisa? Sera que ele ainda gosta de mim? Mas deu tudo certo, pena que ele só ficou três dias. Mas foi ótimo, foi como se eu tivesse me apaixonado de novo. Foram os melhores três dias, minha família conheceu ele, meus amigo. Enfim deu tudo certo. Mas como sempre outra despedida, mal sabíamos que haveriam tantas outras. 

Daí em diante foi assim, nos vendo de meses em meses, ninguém acreditava que nós  fossemos dar certo, mas os meses foram passando, e continuamos ali, juntos, eu ia pra Castanhal, ele pra Parauapebas, qualquer folga que tínhamos a gente se jogava na estrada, brigamos muito, pensamos em acabar varias vezes, mas nunca fizemos realmente, por  que querendo ou não a distância afasta as pessoas, ela enfraquecesse o relacionamento, a saudade desgasta, namoro a distância é realmente pra quem ama mesmo, é muito duro de aguentar.

Com um ano, nós vimos que era hora de decidir em que nossa relação ia dar, pensamos em ele ir pra Parauapebas, mas eu não queria muito, por que eu queria sair de lá, então não ia levar ele pra um lugar que eu pretendia deixar, surgiu a oportunidade de virmos pra Goiânia que era um lugar que eu sempre tive vontade de morar, por que é uma grande oportunidade para estudos e crescer na vida, e graças a Deus nos pensávamos juntos, queríamos as mesmas coisas, sair do Pará pra viver algo melhor. Foi complicado decidir vir, pela nossa idade, pouca experiência em morar junto. Viver sozinhos. Mas decidimos vir, jogar tudo pro ar, e agarrar a oportunidade, foram um ano e meio separados, cheios de longas viagens e sofrimento, tava na hora de mudar o jogo. Tava na hora de acabar com as despedidas. 

Com  muita luta e muito sufoco, hoje estamos aqui, três meses morando juntos, e parece que já faz uma vida toda. Muita gente falou que era burrice que não ia da certo, mas a gente acreditou no nosso amor, e deixamos de lado todo os preconceitos e conceitos e viemos viver a nossa vida. Próximo passo? Conhecer o  mundo!

Namorar a distância não é nada fácil, se você vai fazer isso, tem que rever seu relacionamento e saber se vale a pena, porque é muito doloroso, e a saudade é gigante, mas se vocês se amam, vão em frente. Nós já passamos por muitas coisas pra saber que vale a pena seguir em frente. 

Forma de comunicação por muito tempo


Cartas que ele me escreveu, caderno de lembranças que fiz pra ele, nossos filhos rsrs (Brucks e Hazel). E a placa que segurou em uma das minhas viagens pra Castanhal.


❤️

3 comentários

  1. História linda a de vocês, que bom que deu tudo certo! Namorar a distância só da realmente certo se você amar muito!

    ResponderExcluir

Topo